Jennifer Lo-fi: Experimentalismo, trocadilhos e soluções inteligentes

Há quinze anos, enquanto o rock cru e experimentalista de Jon Spencer ferviam mundo afora e o Brasil era tomado pela moda do pagode romântico, poucos imaginavam que, em menos de dez anos, a internet mudaria completamente a forma de se comercializar música.

A banda paulistana Jennifer Lo-fi, formada em 2008, é um dos grandes reflexos da internet que estreita os laços. Diferentemente do que se imagina como começo de uma banda, os paulistanos foram recrutados pelo faro aguçado do jovem produtor Manoel Brasil, conhecido por ter descoberto a cantora Mallu Magalhães. Uma vez que o dedo maldito do produtor tivesse escolhido cada um dos integrantes, vindos de projetos independentes, bastava então que os integrantes se encontrassem e que, por meio disso, fluíssem inspirações do além. Genial, não acham? Mas poderia ter dado errado.

E deu.

Como qualquer banda comum, os paulistanos encontraram dificuldades em divulgar o seu som pelas casas noturnas da cidade. Recorrer à internet então parecia a melhor solução a ser tomada e por meio de mais uma sacada do jovem Manoel Brasil, a banda inicia uma série de “web shows” sempre com hora marcada e local fixo: o myspace da banda. Tornando o seu repertório cada vez mais diversificado, através da vontade dos espectadores que podiam dar opiniões e sugerir covers, a banda foi ganhando a atenção de casas noturnas e festivais que já conheciam a fama irreverente de se promover dos “Lo-fi’s”.

Os shows por internet continuam sendo apresentados, terças à noite, mas a realidade da banda é bem diferente. Lançando seu trabalho mais recente, o EP Nóia traz uma banda cada vez mais entrosada e madura com os seus interesses. O trabalho que recebe a assinatura do conhecido ‘músico-produtor-apresentador’ Chuck Hipolitho (Ex-Forgotten Boys e atual Vespas Mandarinas), apresenta uma sonoridade cada vez mais focada no math/pós-rock, com quebras rítmicas repentinas, vocais que vão do mais doce ao agressivo e o experimentalismo padrão de suas composições.

Uma das singularidades do Nóia é a ascensão da vocalista e letrista Sabine Holler, que tem se mostrado cada vez mais solta e à vontade com as composições em português, que se tornaram mais presentes, a partir do penúltimo EP Summer Sessions. Outra é que as músicas estão mais claras, o que pode ser compreendido como reflexo da produção de Chuck.

No mais, a banda continua fazendo jus ao sucesso de critica e fãs, mantendo um bom número de shows nas casas noturnas de São Paulo e os habituais web shows de terça-feira.

“Troffea”, o mais recente clipe da banda, é baseado em um curioso registro histórico de Estrasburgo, na França do século XVI, onde quatrocentas pessoas teriam morrido por uma estranha doença denominada de “Praga da Dança”.

Vale a pena conferir:

jennifer Lo - Fi

Nota de esclarecimento:

 O nome Jennifer Lo-fi, surgiu através de um trocadilho com a cantora Jennifer Lopez, que é conhecida por muitos como J-Lo. O termo Lo-fi é muito conhecido no mundo da música por denominar produções de baixa fidelidade.

A banda se inspirou em outra banda famosa por usar trocadilhos, a banda The Samuel Jackson Five.

Texto por Raphael Guimarães

Jennifer Lo-fi:

Myspace | Trama Virtual Twitter | Site 

leia mais

images

Rock para os namorados

Mês de junho… Sabe como é, né? Dia 12 é o Dia dos Namorados, e você aí, sem ideia do que fazer pra sua pequena… Ela já deve estar enjoada das mesmas coisas de sempre e tudo mais… Então, que tal você fazer um CD com umas músicas bonitinhas pra ela? Mas tem que ser […]

The-Ramones1

Cinco músicas originais e suas versões

Músicas boas sempre marcam as vidas das pessoas. Porém, muitas delas ficaram conhecidas mais pelos regravações do que por suas versões originais. Sendo assim, decidi separar algumas dessas sereníssimas canções para que possamos, juntos compará-las com seus respectivos covers. Vamos lá?   1- I fought the law     Em sua versão de 1966, vemos Bobby […]

2c8baa627f6911e2934722000a9f3cae_6

O que ouvir em uma viagem? A trilha sonora perfeita para “o pé na estrada”

Qualquer viagem começa com o planejamento – Onde ir? Depois da resposta a esta primeira pergunta, começamos a pesquisar locais para conhecer, os mais famosos, os mais recomendados, os mais conhecidos, os mais difíceis, os pontos turísticos e como chegar em cada lugar. Roteiros. Viajar é principalmente praticar o desapego. É desligar-se totalmente das preocupações que […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: